Make your own free website on Tripod.com
Outras ocorrências

Vulcão Fuji, Japão, o verdadeiro vulcão.

Outras ocorrências de interpretação popular de vulcões
      Além de Nova Iguaçu, existem outras ocorrências que sendo falado popularmente como vulcões. Os exemplos no Estado do Rio de Janeiro são Marapicu, Itaúna e Morro de São João. Essas informações são cientificamente mais duvidosas do que no caso de Nova Iguçau.

1.1. Marapicu, Campo Grande, Municípios do Rio de Janeiro e Nova Iguaçu
      GuiaCamp, 2004. Esta página apresenta "Quem disse que Campo Grande não tem vulcão? Você não deve estar entendendo nada".
      Subprefeitura de Campo Grande, Rio de Janeiro, 2004, comentou "Localizado em Campo Grande/Bangu ... guarda restos de um vulcão que sacudiu a região, quando o homem ainda não habitava a Terra".
      Entretanto, não há sequier um artigos científico devidamente revisados publicado em revistas periódicas classificadas com esta opinião. Será que as comunidades acadêmicas realmente "não está entendendo de nada" ?

1.2. Morro do Itaúna, Município de São Gonçalo
      Secretaria de Turismo da Prefeitura de São Gonçalo, 2006, comentaram "A cidade ... abriga um dos únicos vulcões do estado, inativo há mais de 60 milhões de anos".
      Rede Globo, RJ-TV 15 de junho de 2006, divulgou "Um vulcão como vizinho. Em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, é assim."
      Entretanto, não há artigos devidamente revisados em revistas periódicas científicas com esta opinião.

1.3. Morro de São João, Municípios de Rio das Ostras e Casimiro de Abreu
      A Teia, 13 de maio de 2005, informou "A Região dos Lagos possui um fantástico vulcão extinto, próximo à foz do Rio São João, no Município de Casimiro de Abreu, entre o 2.º Distrito de Cabo Frio e Rio das Ostras, trata-se do Morro São João.
      Associação de Pesquisas OVNI, 29 de desembro de 2005, comentou "Geólogos e vulcanólogos de renomeada capacidade reconheceram ter aquela formação rochosa todas as características de um vulcão extinto há milhares de anos, comprovação que não é do agrado das autoridades daquelas cidades".
      Entretanto, não há pesquisa científicas com opinião afrimativa.

Renorno à página principal